Fórum WebTuga

Tecnologia => GNU/Linux => Tópico iniciado por: nuno_nunes em Março 09, 2010, 10:41:53 am

Título: Instalação do Linux CentOS 5.4
Enviado por: nuno_nunes em Março 09, 2010, 10:41:53 am
Por norma quando tenho de instalar um sistema operativo Linux num servidor a minha primeira opção vai sempre para o CentOS, que para mim é um dos melhores sistemas operativos que já administrei. O CentOS (Community ENTerprise Operating System) é uma distribuição Linux de classe Enterprise, baseada em código fonte gratuitamente distribuídos pela Red Hat Enterprise Linux e mantida pelo CentOS Project. Para quem necessita de estabilidade, este é o sistema operativo ideal. Neste artigo vamos ensinar como instalar/configurar o CentOS, versão 5.4

(http://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2010/03/05032010232727.jpg)

Para a demonstração da instalação vou recorrer à virtualização para ser mais fácil captar alguma passos.

Material necessário:

    * .iso CentOS-5.4-i386-bin-DVD (3.72 GB)
    * VMWare Player 3.0 (89,9 MB)

Passo 1 – Criar máquina virtual

Vamos começar por criar a máquina virtual, recorrendo ao VMware Player. Para isso escolhemos “Create a New Virtual Machine”.

(http://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2010/03/05032010232247.jpg)

Os próximos passos servem para indicar qual a distribuição que vamos instalar (no nosso caso o CentOS).

(http://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2010/03/05032010232607.jpg)

Os próximos passos servem para indicar qual a distribuição que vamos instalar (no nosso caso o CentOS).

(http://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2010/03/05032010232607.jpg)

Definimos um nome para a nossa máquina virtual e indicamos o caminho onde vamos guardar no disco.

(http://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2010/03/05032010232620.jpg)

Definimos o tamanho do disco a usar. Para esta demonstração definimos 10 GB. Numa instalação num servidor físico, o tamanha a escolher será bem maior.

(http://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2010/03/05032010232628.jpg)

Confirmação dos parâmetros definidos.

(http://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2010/03/05032010232634.jpg)

Feito os passos anteriores, podemos sempre voltar a editar as configurações da máquina virtual para alterar alguns parâmetros (ex: quantidade de memória RAM, configurações da rede, etc).

(http://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2010/03/05032010232644.jpg)

Caso pretendam, podem alterar a quantidade de memória RAM a usar na máquina virtual.

(http://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2010/03/05032010232707.jpg)

Para quem tem a distribuição num ficheiro .iso, deverá definir no hardware CD/DVD a imagem .iso a usar.

(http://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2010/03/05032010232718.jpg)

Início da instalação

A partir deste momento vamos começar a instalar o sistema operativo propriamente dito. No caso de ser uma instalação de raiz, basta apenas carregar na tecla ENTER.

(http://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2010/03/05032010232727.jpg)

(http://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2010/03/05032010232740.jpg)

Definimos qual o idioma que pretendemos usar durante a instalação (neste caso vamos usar em inglês).

(http://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2010/03/05032010232749.jpg)

Definir o esquema do teclado.

(http://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2010/03/05032010232800.jpg)

E agora passamos à parte das partições. Para este exemplo vamos deixar o sistema definir o layout de partições adequadas.

(http://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2010/03/05032010232811.jpg)

Escolhemos “Remove Linux partitions on selected drives and create default layout”.

(http://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2010/03/05032010232820.jpg)

(http://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2010/03/05032010232835.jpg)

O próximo passo refere-se às configurações da rede. Vamos deixar em DHCP, pois podemos efectuar essas configurações posteriormente. Entretanto podemos dar um nome à máquina (ex: pplware).

(http://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2010/03/05032010232935.jpg)

Escolher fuso horário (Lisbon).

(http://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2010/03/05032010232944.jpg)

Definir a password de root.

(http://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2010/03/05032010232952.jpg)

Neste passo podemos escolher quais os pacotes a instalar. A instalação pode ser realizada a partir deste ponto ou podemos instalar os pacotes que pretendemos quando o sistema já estiver em funcionamento.

(http://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2010/03/05032010233000.jpg)

(http://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2010/03/05032010233011.jpg)

Depois de definidos os pacotes, basta mandar instalar.

(http://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2010/03/05032010233025.jpg)

(http://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2010/03/05032010233033.jpg)

(http://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2010/03/05032010233048.jpg)

A instalação demora aproximadamente 40 min (dependendo dos pacotes a instalar).

(http://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2010/03/05032010233055.jpg)

(http://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2010/03/05032010233103.jpg)

Primeiras Configurações

(http://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2010/03/05032010233111.jpg)

Por norma desactivo sempre o firewall e adiciono as regras que pretendo.

(http://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2010/03/05032010233119.jpg)

O SELinux, por norma desactivo sempre. Se precisar, activo à posteriori.

(http://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2010/03/05032010233127.jpg)

Definir date e hora.

(http://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2010/03/05032010233135.jpg)

Criar um novo utilizador. Este passo é importante para que não se use a conta root. Por norma só devemos recorrer à conta root quando precisamos de permissões ‘especiais’.

(http://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2010/03/05032010233144.jpg)

Se pretendermos instalar alguns pacotes contidos em CD’s adicionais

(http://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2010/03/05032010233158.jpg)

Após as configurações anteriores, eis que aparece a janela de login.

(http://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2010/03/05032010233209.jpg)

O CentOS tem um aspecto “leve”, pois o objectivo é que o SO nos forneça estabilidade e desempenho. Eu pessoalmente até ignoro o sistema de janelas e faço todas as configurações via shell através de SSH.

(http://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2010/03/05032010233222.jpg)

E está feito. O Linux CentOS 5.4 está instalado.

(http://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2010/03/05032010233236.jpg)

Como já referi, pessoalmente gosto bastante deste sistema operativo devido às garantias que o mesmo oferece. É robusto, tem bom desempenho e por norma é compatível com tudo. Para finalizar apenas contar uma pequena história. Aqui há 3 anos montei um servidor com base neste sistema operativo e até ao momento nunca deu qualquer tipo de problema. Restarts? Nunca fiz nenhum!

Fonte: pplware (http://pplware.sapo.pt/linux/instalacao-do-linux-centos-5-4/)